A falha

Como seriam os meus dias se sentisse que o que acontece no momento traz algum ensinamento para mim?

 

Buscamos de alguma forma o erro e a falha no que acontece no momento.

Parece que aprendemos desde muito cedo que existe um guião a cumprir e que tudo o que esteja fora desse contexto, é errado e tem de ser corrigido.

A partir de uma certa altura, dedicamo-nos a aperfeiçoar todos os acontecimentos, apontando o dedo ao que aparentemente está mal, sem questionarmos se o guião que seguimos é verdadeiro.

Na realidade, será que sei quem inventou todos os conceitos pelos quais me guio?

Alguma vez questionei os pensamentos que surgem após detetar que não está a acontecer o que eu gostaria?

Será que questionei porque é que acredito que necessito que as coisas aconteçam desta forma e o que significam para mim os acontecimentos atuais?

A suposta falha em nós e no que fazemos é algo a evitar e corrigir.

E, quando surge, é avaliada, julgada e etiquetada para futura correção.

Como se a Vida que acontece no momento estivesse errada.

Como se não existisse mais nada para além do guião que seguimos, mais nenhuma perspetiva, mais nenhuma forma de olhar para o momento.

Ao longo do tempo, devido a esta busca da falha para a correção, vamo-nos tornando menos genuínos, mais apagados, cheios de condicionamentos.

E será que a Vida que acontece no momento está errada?

Ou será que, em vez de questionar porque é que falhei e porque é que isto me está a acontecer a mim, eu posso questionar o que aprendi durante o processo, o que ganhei e o que deixou de fazer sentido?

Como seriam os meus dias se sentisse que o que acontece no momento traz algum ensinamento para mim?

Poderá existir algo de errado no que acontece no momento desta forma?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *